Coordenadoria de Informática do Município explica aquisição dos smartphones

Publicação: 05/11/2018 08:56:41

A automatização deste procedimento é exigência da Anvisa para utilização com o código DATAMATRIX para rastreabilidade ponto a ponto

No serviço público são grandes as demandas para atender aos anseios da população, e é fato também que um dos maiores problemas da Administração Pública é a falta de uma logística de atendimento capaz de oferecer de maneira rápida e eficiente os insumos necessários para atender as demandas básicas da população, especialmente quando se trata de SAÚDE.

Diante desse fato, a administração municipal, pensando em melhorar esta eficiência, verificou que existia a necessidade de estruturação organizacional da Central de Abastecimento Farmacêutica – CAF municipal. Para tanto, a Assistência Farmacêutica abriu o processo 08.00416-00/2017 PE nº25/2018 para a aquisição de equipamentos de informática, cujo objetivo é de otimizar os trabalhos de movimentações de estradas e saídas de medicamentos (controle de estoque).

Para concretizar este projeto, a Semusa solicitou o apoio da Coordenadoria Municipal de Tecnologia da Informação para que desenvolvesse um sistema de estoque de medicamentos informatizado. E, como qualquer software de controle, precisa ter informações confiáveis e, preferencialmente, ser alimentado automaticamente, evitando a digitação manual que pode gerar erros. O nome do equipamento capaz de auxiliar neste processo de cadastro se chama COLETORES DE DADOS, dispositivo portátil utilizado para a coleta de informações. No caso deste projeto, optou-se porsmartphones devido a sua versatilidade.

Com a atual tecnologia, esse equipamento, além de sua versatilidade, é uma poderosa ferramenta utilizada no dia a dia de qualquer cidadão ou grandes corporações. Nesse projeto da Semusa, a câmera do equipamento será utilizada como o coletor de dados (tanto para códigos de barras quanto para QR Code) e com o aplicativo conectado a uma rede Wifi, dispensa o uso de computadores físicos, além de aumentar a eficiência e velocidade da leitura dos cadastros.

Os equipamentos servirão para complementar o processo de comunicação e otimização dos trabalhos das equipes da Central de Abastecimento Farmacêutica – CAF. Com este serviço, o Município contará com o processo de rastreabilidade de medicamentos que garantirá maior confiabilidade, segurança e economicidade. Esse trabalho desenvolvido pelo CMTI parte de um conjunto operacional para a execução das atividades laborais das equipes que exercem suas atividades de forma manual (anotações em papel).

A automatização deste procedimento já é uma exigência da ANVISA para utilização com o código DATAMATRIX para rastreabilidade ponto a ponto (desde a sua saída do fabricante até o consumidor final), agregando, assim, informações sobre o medicamento dispensado ao paciente do SUS, com informações sobre sua descrição completa, lote, validade, fabricação, entre outras, fazendo com que a Prefeitura de Porto Velho, além de atender uma determinação legal, esteja sempre na vanguarda da Tecnologia.